ESCREVER UMA NOVA HISTÓRIA

                


              Em 1999, quando me lancei como escritora, na condição de ghost writer - escritor fantasma - jamais imaginei que ia gostar tanto, ao ponto de um dia viver disso e ganhar a tão sonhada liberdade financeira e geográfica.
              Investi em conhecimentos na área e especializei-me em escrever  biografias, gênero literário que curto desde o início da adolescência. Em 2005, lancei o primeiro livro autoral, Catadora de Sonhos – A História Secreta de Maria Eulina. Trata-se da biografia de uma ex-moradora de rua na capital paulista, dona de história linda, com direito a Fada Madrinha, Príncipe Encantado, no caso, um empresário alemão - de quem ficou viúva - e um Castelo, onde fundou uma ONG em plena Avenida São João que devolve cidadania a pessoas que vivem em situação de rua. Eulina saiu do lixo para o luxo em quase dois anos e este livro biográfico mereceu reportagem no Le Monde, jornal na França.
             Mais de vinte biografias depois, aprendi que com a experiência ou a história do outro, a gente pode crescer mais rápido pois aprendemos algo novo todo dia.
          Duvido que exista gente mais curiosa do que eu quanto a gostar de conhecer ou ler sobre o processo que qualquer pessoa passou para chegar

em alguma posição ou atividade profissional.     


            São 
 pessoas preparadas para nos ensinar ou ajudar a pegar na   mão desta estrada chamada vida. Biografias são histórias que unem pessoas com o mesmo propósito de vida. O nosso papel como escritores é mostrar o DNA dessas pessoas, que contam suas trajetórias para compartilhar histórias relevantes. Cada um tem a sua, isso não quer dizer que um tem uma vida melhor do que a outra, não.
        Somos únicos e exclusivos. E a história mais linda que
 existe é a sua, que já superou tudo o que pôde na
vida, independente de seus resultados, mas foram desafios superados, movidos pelo motivo que estava fazendo, com o coração cheio de gratidão, porque hoje só somos o que somos pelo que cada um passou até aqui pela Graça de Deus. E não se iluda: grandes líderes, os aqueles que tiveram sucesso financeiro ou no mundo das celebridades também passaram pela mesma história. 
         Cada um tem a sua e a história mais importante é aquela que você conta para você mesmo, com a permissão d’Ele.
          O que você vai fazer com a sua
 história? Compartilhar para que outros não passem pelos mesmos obstáculos que você passou? Ou você vai ficar sofrendo porque algo lá no seu passado não deu certo?
          Seria
 ótimo se cada um compartilhasse suas experiências, contasse como foi chegar aqui, detalhar os desafios que encontrou no meio do caminho.
          De
 alguma forma você estará ajudando alguém a encontrar o seu caminho porque somos únicos e exclusivos, porém, com propósitos. Como diz Valeska Bruzzi: “Não existe pessoa ou vida desinteressante, o que existe são histórias mal contadas”.  




    

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CENTENÁRIO DE DIX-HUIT ROSADO

O SUCESSO DA REFIMOSAL

QUANDO UMA ESTRELA SE VAI