Pular para o conteúdo principal

A ESCOLA DO MEU TEMPO



                                          LANÇAMENTO






























                                           


            A ESCOLA DO MEU TEMPO são as memórias na área da educação, da professora Inalda Cabral Rocha, nascida na zona rural de Pau dos Ferros, Rio Grande do Norte. Ela conta episódios e experiências que vivenciou como aluna, na roça; depois, com a migração da família para Mossoró, estudou como interna no Ginásio Sagrado Coração de Maria, fundado e dirigido pelas Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição, de Portugal, de onde saiu para a Escola Normal de Mossoró e ingressa no mercado de trabalho.
             Professora, diretora de escola pública, secretária de educação, chefe do NURE - hoje DIRED - coordenadora do Mobral e dona de colégio particular, aos oitenta e seis anos de idade, a menina que sonhou ser professora, explica como galgou essas funções sem o curso superior, já que seu ingresso na universidade se deu após a aposentadoria. Seu trabalho mereceu reconhecimento em vida, com a inauguração da Escola Estadual Inalda Cabral. Em fevereiro deste ano, recebeu da cúpula da Secretaria de Segurança Pública e Polícia Militar do Rio Grande do Norte, homenagem como madrinha de formatura dos oficiais do PROERD – Programa de Erradicação às Drogas - em reconhecimento pelos serviços prestados na área da educação. Prefácio da professora Zilda Maria. Capa e projeto gráfico de José Odilan. Organizado pela jornalista Lúcia Rocha, filha da biografada.

A ESCOLA DO MEU TEMPO
Editora Queima Bucha
Mais informações: 84 | 3062.0239
Vendas também por e-mail: contato@srleitura.com.br
Preço do exemplar: R$ 25,00 













Formatura no Ginásio Sagrado Coração de Maria, aos 17 anos, em 1942.
 Foto de Manuelito Pereira

Formatura na Escola Normal de Mossoró, aos 19 anos, em 1944. 
Foto de Manuelito Pereira

Formatura em Pedagogia, com especialização em Administração Escolar, na UERN, em 1981, aos 57 anos de idade.


Aos 86 anos, conta essa trajetória 
   

Comentários

  1. Oi Lucia, parabéns pelo lançamento! Memorias sao mais do que importantes. Beijos para você!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns a D. Inalda pelo lançamento das memórias e a você Lucinha.

    ResponderExcluir
  3. Com certeza, uma riqueza de experiência.
    Vale lembrar q eu estudei no Educandário Nossa Senhora Aparecida
    em 1970 e guardo lindas recordações dessa escola.
    Só p/ ilustrar, foi onde usei aquarelas pela primeira vez
    e fazia pinturas vestida com aventalzinho de plástico
    por cima da farda!!!rs rs
    Amanhã mesmo, eu vou comprar esse livro!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

ONDE ANDA OLGA BONGIOVANNI

A televisão brasileira nos últimos tempos tem revelado talentos na linha do humor. Há muito não aparece alguém que se destaque por sua atuação na linha de programas de auditório, a não ser Eliana, nas tardes de domingo, no SBT, com bons índices de audiência.        Em 1999, a cidade de São Paulo serviu de cenário em uma forte campanha de marketing para divulgar nova atração na TV Bandeirantes. Centenas de outdoors espalhados pela cidade anunciavam a apresentadora do programa matutino Dia a Dia, Olga Bongiovanni, um nome desconhecido do grande público, até então.        Quem seria aquela mulher, já aparentando algo em torno dos quarenta anos de idade, causando curiosidade tão comum em jornalistas que cobrem a mídia? No dia prometido para a estréia, quis saber de quem se tratava pois, certamente, de alguém que valeria a pena todo aquele investimento.        Eis que surge uma pessoa simpática, bonita e magra, ingredientes para o caminho do sucesso numa carreira em televisão. Porém, Olga B…

CENTENÁRIO DE DIX-HUIT ROSADO

DIX-HUIT ROSADO
        No dia 21 de maio de 1912, há cem anos, nascia em Mossoró, Rio Grande do Norte, Jerônimo Dix-huit Rosado Maia, filho do paraibano de Pombal, Jerônimo Ribeiro Rosado, casado em segundas núpcias com a conterrânea, Isaura Rosado Maia, irmã da primeira esposa, Maria Amélia Henriques Maia, de quem enviuvara.  Jerônimo era filho de um português de Coimbra, Jerônimo Ribeiro Rosado, que residia há muito tempo em Pombal. Formado em Farmácia, pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, o Jerônimo Rosado, ou seu Rosado, como era tratado em Mossoró, migrou para esta cidade, em 1890, à convite de um médico, com quem se associara para abrir a Farmácia Rosado. Seu Rosado registrou seus filhos e filhas com nomes esquisitos, o que já rendeu a participação de alguns de seus descendentes no Domingão do Faustão. Seu biógrafo, Luís da Câmara Cascudo conta no livro lançado em 1967, Jerônimo Rosado – Uma Ação Brasileira na Província que, seguindo a …

O SUCESSO DA REFIMOSAL