O ADEUS A ARNALDO SACCOMANI

 

                                                Com Arnaldo Saccomani

        A Música Popular Brasileira perdeu hoje, dia 27, um grande profissional, Arnaldo Saccomani, diretor, produtor musical e gente muito boa, um excelente ser humano.
     Através de Arnaldo, aprendi sobre os bastidores da produção de um disco, algo inimaginável para quem só curte um bom som.
     Através de Arnaldo, pude conhecer uma família maravilhosa de duas filhas - Júlia e Thaís - e esposa, Vera.
     Através dessa família, testemunhei que por trás de um grande profissional da indústria de entretenimento, há o ser humano, o homem que não dava um passo sem a família.
     Assim era Arnaldo, envolvia, trazia para junto de si, esposa e filhas, também, levava artistas para seu lar, um ambiente aconchegante, onde tinha espaço para famosos e anônimos, para gente em busca de fama, gente talentosa na área musical ou nos bastidores.
     São vinte e nove anos de amizade.
     Conheci as filhas, ainda crianças e pude desfrutar da meninice, da fase pré-adolescente, adolescentes e adultas. 
     Júlia, alguém que amava o que o pai fazia e vivia ao seu lado, mexendo em botões na máquina de produzir música, no estúdio da Transamérica. Cheguei a arriscar que seria a primeira produtora musical do Brasil. Estava enganada.
      Thais, entrou para o meio musical aos dez anos de idade, quando integrou o grupo Ping Pong, teve a sorte de ter sua voz como tema de abertura de novela global com essa idade.
      Mas, a garotinha cresceu, ficou um mulherão, com vozeirão. Casou, é mãe, passou a compor solo ou em parceria com o pai, que deixa uma grande obra musical.
      Tive a oportunidade de trabalhar com Arnaldo, em sua Memphis Produção, em 1994, período em que ele deu um empurrão na carreira do Só Pra Contrariar, Sampa Crew, no ano seguinte, Mamonas Assassinas, na sequência, Tiririca, dentre outros não menos famosos, fenômenos na indústria  fonográfica.
      Contratado como diretor musical do SBT, produziu todos os discos das novelas infantis do canal, oportunidade em que descobriu novos talentos musicais na linha pré-adolescentes, como Maisa e Larissa Manuela, ambas com carreiras consolidadas no SBT e TV Globo, respectivamente.  
       Agradeço, de coração, à família Saccomani, pelo acolhimento, pela receptividade e pelo espaço que sempre me deram, além da oportunidade a aprender mais, a cada oportunidade que me concedem de estar na companhia de vocês.
       Que Deus conforte esses corações que sentirão demais a saudade do grande Arnaldo.
       De longe, já estou com saudades, imagino a dor de sua passagem.
       "Sorria que estou te filmando", frase de música composta por Arnaldo e Thais.
        Assim, será. Onde quer que ele esteja.
        Vá em Paz, Arnaldo, certo que a humanidade perdeu um filho excepcional, gente do bem querer de todos quanto o conheciam.        
       Veroca, Júlia e Thais, acreditem, ele está em um bom lugar. Melhor do que nós que continuamos aqui, em tempos de pandemia.

                 

         

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CENTENÁRIO DE DIX-HUIT ROSADO

ONDE ANDA OLGA BONGIOVANNI