IRMÃ ELLEN

 IRMÃ ELLEN: DA ALEMANHA PARA O PAÍS DE MOSSORÓ   




   Recentemente o bilionário americano – banqueiro e filantropo – David Rockefeller, único neto vivo de John Rockefeller, o homem mais rico do mundo no início do Século XX - em entrevista a VEJA disse o segredo para manter o vigor aos 91 anos de idade: “Simplesmente ainda acho a vida fascinante e espero por cada novo dia. Vou ao escritório diariamente e viajo bastante. Continuo curioso sobre o mundo e tudo o que há nele. Espero que as pessoas se lembrem de mim como alguém que se preocupou com o mundo em que viveu e fez o que pôde para torná-lo um lugar melhor”.



    Bem, o autor da frase acima é dono de uma fortuna pessoal estimada em 2,6 bilhões de dólares e figura entre as trezentas pessoas mais ricas da atualidade. Já veio dezenas de vezes ao Brasil, foi proprietário de fazenda no Mato Grosso e sua filha Peggy trabalhou como voluntária em favelas cariocas.             
    Mas o que chama a atenção em sua entrevista é seu comentário sobre filantropia, já que sua família é conhecida mundialmente nessa área. “Penso que é possível ganhar dinheiro e também se preocupar com a qualidade de vida da sociedade”, disse.
    Algumas pessoas pensam assim. Por exemplo, há alguém oriunda da classe média alta da Alemanha - tão distante do país de Mossoró - que aqui aportou em 1978 e fundou uma das obras sociais mais bonitas do Nordeste brasileiro: a irmã Ellen que, juntamente com sua irmã biológica, a médica Cristina, não faz outra coisa a não ser se doarem aos mais necessitados.
    O Lar da Criança Pobre de Mossoró é uma entidade mantida por amigos alemães e brasileiros e que atende adultos e crianças em mais de dez projetos sociais, num trabalho anônimo, executado por voluntários sob a direção da Irmã Ellen, filha de um engenheiro e empresário, o primeiro parceiro dessa grande obra.
    Há de se perguntar: que espécie de gente é essa que deixa tudo para trás, sua história, família e amigos, partindo para um local desconhecido, somente em busca de colaborar para um mundo melhor? São pessoas especiais, de alguma forma, guiadas por Deus para fazer o bem a quem está necessitando de algo e são pouquíssimas que fazem isso hoje.
    É gente que segue a máxima do Evangelho: “Ama a teu próximo como a ti mesmo, fazendo a ele o quereis que vos façam”.
    Este é um dos caminhos que leva o homem a alcançar saúde e paz, contribuindo para um mundo melhor.


Jornal PÁGINA CERTA, dezembro de 2006
           










Comentários

  1. parabens irma ellen pelo o que vc faz .deus abençoe

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

ONDE ANDA OLGA BONGIOVANNI

CENTENÁRIO DE DIX-HUIT ROSADO

Dia do Professor